10/10/2017 08h16 - Atualizado em 10/10/2017 08h16

Para Infantino, seria injusto Messi encerrar carreira sem vencer uma Copa

Por: gazetaesportiva
 

A Argentina vive um momento delicado, podendo ficar de fora da Copa do Mundo de 2018. As atuações de Lionel Messi vêm sendo questionadas e inclusive comparadas às de Cristiano Ronaldo por Portugal. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, acredita que o argentino ainda pode alcançar mais pelo seu país, além de considerar injusto se o jogador do Barcelona encerrar sua carreira sem conquistar um Mundial.

"Seria injusto. Bom, se ganha o Mundial se você merece. E é assim, temos muitos grandes jogadores que não ganharam o Mundial, e temos muitos jogadores não tão grandes que ganharam. Essa é a beleza do futebol", afirmou o italiano em entrevista ao jornal La Nación.

Mesmo que não consiga o feito em 2018, o presidente vê chances disso acontecer no Qatar, em 2022, quando a "La Pulga" terá 35 anos: "Pode ser, pode ser (que Messi jogue em 2022). Quando o vemos jogar, parece que ninguém pode tocá-lo. Nunca se machuca, nunca fica doente. E é tão rápido que, ainda que queiram pegá-lo, não conseguem".

Infantino ainda fez questão de elogiar Messi, além de compará-lo com Maradona: "É um dos atores principais e absolutos do futebol de hoje, alguém que namora a bola e joga de forma absolutamente incrível. Os dois marcaram uma época: os anos 80 e 90 foram de Maradona; esses últimos 10 anos, de Messi. Mas claro, Maradona também ganhou uma Copa. Sim, Messi também tem de ganhar uma".

A Argentina enfrenta, nesta terça-feira, o Equador fora de casa pela última rodada das Eliminatórias sul-americanas. O jogo acontece no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, às 20h30 (horário de Brasília).