13/11/2017 07h19 - Atualizado em 13/11/2017 07h19

Aves apreendidas em rinha de galo estão mutiladas, diz polícia

Por: campograndenews
 
 
Galos ficavam preso em caixotes de madeira  (Foto: divulgação/PMA)
Galos ficavam preso em caixotes de madeira (Foto: divulgação/PMA)

Quarenta e oito aves mutiladas com as esporas cortadas, ferimentos na crista e no peito foram resgatadas durante operação para acabar com quadrilha que promovia rinha de galo. A ação foi realizada pela PMA (Polícia Militar Ambiental) em conjunto com o Batalhão de Choque, em Ribas do Rio Pardo, distante 103 quilômetros de Campo Grande.

Há uma semana, a Polícia Ambiental vinha monitorando uma chácara, que fica a 7 quilômetros de Campo Grande. As investigações indicavam que, neste domingo, o grupo iria se reunir para realizar mais uma rinha. No total, 38 pessoas foram detidas e quatro armas apreendidas, sendo dois rifles, um revólver e uma garrucha calibre 22 e várias munições, que pertenciam ao proprietário da chácara, inclusive, um rifle com numeração raspada.

Também foram encontrados no local 48 gaiolas, duas arenas onde ocorriam as brigas, materiais como esporas artificiais, remédios, seringas, capas para transporte dos galos e biqueiras artificiais.

Os presos, incluído o proprietário da rinha e da chácara, residentes em Campo Grande, Ribas do Rio Pardo, Três Lagoas e Água Clara, foram levados à delegacia de Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo e responderão por crime ambiental de maus-tratos a animais. A pena é de três meses a um ano de detenção. Cada autuado foi multado em R$ 24 mil, totalizando R$ 912 mil.

O dono da rinha e da propriedade rural também foi autuado em flagrante por crime de posse ilegal de arma de fogo. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela polícia.